Loading...

31 janeiro 2015

Que terminem os jogos

De: Marco Aurelio Brasil

Eu sempre fui e continuo sendo apaixonado por jogos. Uma fatia relativamente grande de minha infância foi passada à frente de um tabuleiro de War, Detetive, Scotland Yard, Leilão de Arte, Combate, Interpol ou Banco Imobiliário e ainda hoje não rejeito jogar Colonizadores de Catan com meus meninos ou algum jogo inocente de baralho nos momentos de folga. Ainda assim, suspeito que a dinâmica dos jogos transportada para as outras áreas da vida seja responsável por algumas de nossas grandes mazelas.

A dinâmica dos jogos é simples: eu quero ganhar, e para conseguir isso, vou ter que fazer você perder. É uma questão de determinar quem é superior.

Não acredito que os jogos ensinem esse desejo a ninguém, a dinâmica dos jogos aparece muito antes do primeiro jogo. Aparece ali próxima dos dois anos de idade e você pode encontrá-la na criança pequena que chama todo brinquedo de "meu" (sobretudo na presença de outra ou outras crianças) ou que faz questão de falar para as outras crianças que alguma coisa sua (o pai, o carro, a casa, etc) é "mais grande".

A dinâmica dos jogos se revela cedo e não sai de cena jamais. Está na mulher que quer que seu sapato novo seja notado, que quer ser a mais magra da festa, que se esforça pra que sua sobremesa seja a mais elogiada do almoço de família. Está no homem que estaciona duas quadras antes da igreja onde vai acontecer aquele casamento porque sabe que seu carro não é nada impressionante, que posta fotos no Facebook com ar blasé em algum paraíso tropical como se aquilo fosse sua rotina e que puxa os tapetes necessários para conseguir uma promoção e assim poder ostentar um relógio melhor. Melhor do que os dos outros, claro. Está na necessidade de “fazer um nome”, de ser desejado e admirado.

A dinâmica dos jogos está em absolutamente todo canto. Na disputa eleitoral, na queda de braço por poder dentro da família, da igreja, da empresa ou do clubinho de escoteiros. Está numa conversa aparentemente pueril entre amigos (quem tem a história MAIS engraçada? quem sabe MAIS de economia ou política? quem tem a informação privilegiada que NINGUÈM mais tem? quem tem o filho mais lindo cute-cute ou mais obediente?) Está na creche e no asilo. É onipresente. 

É ela que nos faz amar a história de Davi e Golias e coçar a cabeça com histórias como a de Jó, João Batista e Tiago.

Nosso apego à dinâmica dos jogos revela a quem pertencemos. Revela quem manda nessa bagaça. Falando de Satanás, a Bíblia diz: "E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono..." (Isaías 14:13). Pura dinâmica dos jogos. Em contraste (e que contraste!), Cristo “tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus. elo contrário, ele abriu mão de tudo o que era seu e tomou a natureza de servo, tornando-se assim igual aos seres humanos. E, vivendo a vida comum de um ser humano,ele foi humilde e obedeceu a Deus até a morte — morte de cruz” (Efésios 2:6-8 NTLH).

O exemplo eloquente de Jesus mostra que todos estamos mesmo disputando um jogo, um jogo desesperado, de vida ou morte. Mas o oponente não são os outros, somos nós mesmos. O ego é o inimigo a ser batido, pisado e surrado. É preciso perder para ganhar.

Cristo está convidando a gente para brincar de um jogo totalmente diferente hoje. O jogo do “esvaziar-se”. Quem quer brincar põe o dedo aqui!

Feliz sábado, @migos!
Marco Aurelio Brasil, 30/01/15

10 setembro 2014

Estamos no tempo do fim…

Mateus 24:1 E, quando Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo.
2  Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada.
3  E, estando assentado no monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?
4 ¶ E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane,
5  porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.
6  E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.
7  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.
8  Mas todas essas coisas são o princípio das dores.
9  Então, vos hão de entregar para serdes atormentados e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as gentes por causa do meu nome.
10  Nesse tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão.
11  E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos.
12  E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará.
13  Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.

25 agosto 2014

Arão x Jesus

Ontem estive lendo Êxodo 28. É a parte onde Deus dá a Moisés o modelo da roupa sacerdotal de Arão, que seria o Sumo Sacerdote, aquele que intercederia junto a Deus pelo seu povo. É interessante pensar em como Deus é cuidadoso e organizado e pensou em tudo nos mínimos detalhes, mas três versos me chamaram a atenção quando eu estava lendo:

12 – E porás as duas pedras nas ombreiras do éfode, por pedras de memória para os filhos de Israel; e Arão levará os seus nomes sobre ambos os seus ombros, para memória diante do Senhor

29 – Assim Arão levará os nomes dos filhos de Israel no peitoral do juízo sobre o seu coração, quando entrar no santuário, para memória diante do SENHOR continuamente.

38 – E estará sobre a testa de Arão, para que Arão leve a iniquidade das coisas santas, que os filhos de Israel santificarem em todas as ofertas de suas coisas santas; e estará continuamente na sua testa, para que tenham aceitação perante o SENHOR.

Arão era aquele que iria oferecer sacrifícios pelo povo, pedir perdão pelos seus pecados e para isso, Deus lhe fez carregar o povo no seus ombros, no seu coração e na sua testa.

Jesus também é o nosso Sumo Sacerdote (leia Hb 4.14; 5.10; 6.20; 7.26; 8.1-3; 9.25). O seu sacrifício foi maior do que todos os outros anteriormente realizados. Através do sangue de Jesus, recebemos a vida e vida eterna. Quando ofereceu o Sacrifício de Expiação por nós, Jesus carregou em seus ombros a pesada cruz, com nossos pecados. Teve em sua cabeça uma coroa de espinhos (que somente Ele deve saber o quanto doeu); e no seu coração, derretido com cera (Sl 22.14), estava o seu imenso amor. E ainda depois de morto foi ferido no seu lado. Jesus te amou tanto que deu sua vida por você e o seu amor permanece de pé até hoje. Ali na cruz o teu nome estava gravado em seus ombros, em seu coração e em sua testa. Como deixar de atentar para tão grande amor?

14 abril 2014

A Bíblia é a Verdade!

Jesus disse: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar (Mateus 24:35)”.

Sabe, as pessoas leem as histórias da Bíblia e dizem que são mitologia ou contos de fada (Certo, difícil acreditar que o Mar Vermelho se abriu e o povo passou a pé enxuto. Ok, não vamos discutir isso agora); algumas pessoas dizem que são apenas um conjunto de regras que ensinam como se deveria viver na sociedade daquele tempo e muitas religiões também os têm (ok também, um conjunto muito bem feito, mas que não servia apenas para aquela época, aplica-se também aos nosso dias, mas também não é disso que eu quero falar).

No entanto, a Bíblia tem um aspecto que é diferente: a profecia. A Bíblia é o único livro que prediz alguma coisa, tanto em relação ao que já aconteceu como ao que vai acontecer. Esse é um ponto que as pessoas não se preocupam de checar! É muito fácil detratar os “contos de fadas” ou tentar negar alguns dos princípios bíblicos, mas negar a profecia? Impossível!

--- texto disponível em: https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20100303102726AAU9cUT

Um exemplo notável. Construída estrategicamente nas margens do rio Eufrates, a antiga Babilônia tem sido chamada de “centro político, religioso e cultural do Oriente antigo”. Por volta de 732 AEC, o profeta Isaías escreveu uma profecia funesta: Babilônia cairia. Isaías deu detalhes específicos: ela seria conquistada por um líder chamado “Ciro”, as águas protetoras do Eufrates ‘secariam’ e os portões da cidade ‘não seriam fechados’. (Isaías 44:27-45:3) Uns 200 anos mais tarde, em 5 de outubro de 539 AEC, a profecia se cumpriu em todos os detalhes. O historiador grego Heródoto (quinto século AEC) confirmou o modo em que Babilônia caiu.

Um detalhe audacioso. Isaías fez mais uma previsão surpreendente a respeito de Babilônia: “Nunca mais será habitada.” (Isaías 13:19, 20) Não se pode negar que exigiu coragem predizer a desolação permanente de uma cidade enorme situada num lugar estratégico. Se uma cidade assim fosse destruída, seria normal esperar que fosse reconstruída. Embora Babilônia tenha durado ainda algum tempo após sua conquista, as palavras de Isaías por fim se cumpriram. Hoje em dia, o local em que ficava a antiga Babilônia é “plano, quente, desabitado e poeirento”, relata a revista Smithsonian.

Ficamos impressionados ao refletir na magnitude da profecia de Isaías. O que ele predisse equivale a prever o modo exato em que uma cidade moderna, como Nova York ou Londres, seria destruída daqui a 200 anos e depois afirmar enfaticamente que ela nunca mais seria habitada. É claro que o mais notável de tudo isso é que a profecia de Isaías se cumpriu.

--- fim do texto -----

O próprio Jesus disse que veríamos “guerras e rumores de guerras, fomes e pestes e terremotos em vários lugares”. Nos últimos cem anos, tivemos mais terremotos do que em toda história anterior!

O apóstolo Paulo escreveu que “nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, (2 Tm 3:1-4)”. Isso parece a sociedade de hoje? Mas está escrito há dois mil anos!

Observe a sociedade, o mundo ao seu redor. O que a Bíblia disse está se cumprindo!

As pessoas que hoje reclamam de ditaduras passadas, um dia aceitarão uma ditadura mundial e estarão satisfeitas com isso! O mundo está se preparando e a sociedade está sendo preparada. Dá pra se ver claramente na TV, no cinema, na internet... O problema é que as pessoas não conseguem associar o que veem ao que está escrito na Bíblia porque elas acham que a Bíblia é bobagem!

Se você tem uma Bíblia, leia o que está em Mateus 24 e 25, em Daniel 11, em Apocalipse 13. Procure ler a série de livros DEIXADOS PARA TRÁS, ela esclarece muita coisa. Só não diga que a Bíblia é besteira sem tê-la confrontado com o mundo à sua volta!

A BÍBLIA É VERDADE! JESUS ESTÁ VOLTANDO! E NINGUÉM, NINGUÉM MESMO, PODE MUDAR ISSO!

24 dezembro 2013

NATAL, UMA HISTÓRIA DE SACRIFÍCIOS.

 

Essa é a época mais bonita do ano: luzes, cores, músicas, enfeites, presentes, esperanças... Algo que começou há muito tempo lá trás, bem mais atrás do que possamos imaginar, mas que ainda traz alegria e esperança nos dias de hoje.

Mas a história do Natal não é só de beleza, de anjos cantando, pastores adorando e presentes vindos do Oriente. A história do Natal também é uma história de sacrifícios. Muitos sacrifícios.

O primeiro a fazer sacrifício foi o próprio Deus. Sabendo o estado da humanidade, e sendo um Deus que se preocupa e se relaciona com sua criação, enviou o Unigênito, seu único filho para vir morrer, pagar o preço de nossos pecados. Mesmo o tempo de vida na terra sendo uma faísca em relação à eternidade, o Pai sofreu ao ter que entregar seu Filho.

Depois, temos o próprio Cristo. Ele é Deus. Deus descrito nas Escrituras como grande, tão grande que o céu dos céus não o pode conter. Chamado de Pai da Eternidade, por Isaías. No entanto, veio se prender ao tempo e mais, preso nove meses dentro do espaço apertado do ventre de Maria. Depois, o dono de todas as coisas, veio a nascer numa estrebaria e o Rei dos Reis teve como primeiro berço um cocho de animais.

Aqui na Terra, temos o sacrifício de Maria. Ah, que é isso? Ser Mãe do Filho de Deus? Quem não ia querer um privilégio desses? Ora... Lembremos que Maria não pensava nisso. Maria estava para casar! E... era virgem. O que era aparecer grávida antes do casamento naquela época? E numa pequena vila, como era Nazaré! É... não dá pra imaginar a rejeição e o preconceito que Maria passou. Nem de longe!

Depois, na mesma condição estava José. Se aprontando para casar, Maria vem com a notícia de que está grávida! E jura que o filho é de Deus! Que homem ia aceitar isso, em plena Judeia no início do fim das eras? Mas José decide se passar como o cara mau, que abusou de uma pobre moça e se prepara para fugir, e ser marcado por tal estigma o resto de sua vida. Mas um anjo lhe manda ficar e José vai cumprir o que a lei dizia e casa com Maria.

Ao fim dos nove meses, mais um sacrifício: sair de Nazaré com uma mulher grávida para ir se alistar lá em Belém para o recenseamento do imperador. Belém lotada, sem lugar para ficar e o único lugar que lhes oferecem é uma estrebaria.

Por fim, temos os reis do Oriente, que viram uma estrela surgir como um sinal e saíram seguindo aquela estrela para chegar a Belém com presentes para entregar ao menino-rei.

Pois é... muitos sacrifícios. E qual a nossa resposta a isso em nossos dias? Como responder à altura, depois de tudo o que está escrito acima? Jesus merece muito mais do que ser trocado por um Papai Noel, não é?

A melhor resposta está escrita no Hino 430 do HCC:

1. O que darei a Cristo,

Que Se entregou por mim?

Como hei de meu amor mostrar

a Quem me amou assim?

Darei minha alma a Cristo

e alegre entregarei

o meu futuro em Suas mãos

e nada temerei.

2. Darei meus dons a Cristo

e sempre O louvarei;

os meus talentos, minha voz,

assim consagrarei.

Darei meu corpo a Cristo,

a mente, o coração;

por onde quer que me mandar,

meus pés O seguirão.

3. Darei meus bens a Cristo.

O pouco que eu tiver

aceita e abençoa, ó Deus.

É Teu também meu ser.

O que darei a Cristo,

que Se entregou por mim?

Darei a minha vida

a Quem me amou assim.

Pense nisso e tenha um verdadeiro Feliz Natal!