Loading...

25 novembro 2010

Sobre muitas coisas eu quero te falar…

Catedral

Sobre Muitas Coisas – Catedral
Composição: Kim,Cezar e Julio

Por falar de amor
Por falar de paixão
Por falar de coisas do coração
Por falar de mim lembrei de você
Faz tempo que a gente não se vê

Por falar de vida
Falar de razão
Por falar de amizade
De emoçao
Por falar de esperança
Lembrei de você
Mas faz tempo que a gente não se vê

Ah! sobre muitas coisas
Eu quero te falar
Ah! sobre tudo em fim
Que lembre o nosso amor

Por falar de verdade
Real soluçao
Por falar de saída
De salvação
Falo com ternura
Pois tenho você
A verdade e a vida
Que a gente vê

 

Calma, calma, calma… Rs. Não sou muito fã do Catedral, não, embora eu goste de várias músicas antigas deles. Mas é que essa letra reflete o meu momento atual: gostaria de falar sobre muitas coisas, mas tô sem cabeça pra nada, pode crer.

Doido que a faculdade termine, só faltam duas provas e receber as notas pra voltar a ter vida normal. Aí voltarei a blogar. São tantos assuntos, tantas coisas que vejo no dia a dia e gostaria de falar, mas… tô travado esses dias.

Mas, como hoje se comemora o Dia de Ação de Graças: Obrigado, Senhor, por tudo! Especialmente pela formatura, pois pensei que ia passar batido, mas Ele providenciou os meios para houvesse uma colação de grau, placas e fotos! Muito obrigado mesmo, Senhor!

16 novembro 2010

É impressão minha ou o Natal já chegou?

161120102013

“É que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor”. (Lc 2.11)

Num livrinho de “Hagar, o Horrível” há uma tirinha em que a família dele está na praia, em pleno verão (que no Hemisfério Norte corresponde ao mesmo período do nosso inverno aqui) e vê o pessoal colocando os enfeites de Natal e pergunta à Helga: “não acha que a cada ano eles antecipam um pouco mais o Natal?”. É realmente o que eu estou sentindo este ano…

Em pleno Novembro as casas já estão com os pisca-pisca brilhando, as fachadas das empresas, os interiores das lojas e shoppings… Sabe, o Natal é no fim do mês que vem, minha gente!

É muita ornamentação, muita luz, muito comercial, muito presente pra ser comprado, muita roupa pra ser vendida… Pouca música pra ser ouvida, pouca comida pra ser doada, pouco perdão pra ser liberado, pouca vida pra ser vivida.

O que eu acho desse Natal está retratado aí nessa foto. Pra quem não sabe, essas figurinhas marrons são de um presépio (au naturel). Os carinhas da esquerda são os reis magos (os pastores ficaram atrás, foi mal!), aqui no meio tem um camelo e umas ovelhinhas, no final, lá no canto tem um anjo e no meio estão José e Maria. Aí eu fiquei olhando: “Sim. E cadê o menino Jesus?” Pois é… Ele simplesmente não está lá. E cadê o Jesus desse natal comercial? Também não veio, está em falta no estoque.

A realidade do Natal é essa descrita pelo anjo no texto de Lucas: nasceu o Salvador! Isso é Natal!

As pessoas sempre dizem que Natal é época de paz, alegria, perdão, fraternizade, solidariedade. Mas sem Jesus não temos paz com Deus, nem alegria no Espírito Santo, nem perdão dos pecados, nem comunhão com a Igreja, nem amor verdadeiro para mover os nossos atos. Sem Jesus nada é perfeito, nada é completo.

Que Deus nos ajude a encontrarmos o Verdadeiro Rei nesse Natal, senão nossas vidas ficarão como esse presépio aí…

09 novembro 2010

Tô chegando lá…

061120101795

Daqui uns dias eu termino o curso, se Deus permitir. Esses dias não tenho postado nada e realmente não tá fácil, porque essa semana tá lotada de coisas pra entregar e apresentar. Agradeço as orações.

01 novembro 2010

Holocaustos

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. - Rm 12:1

Logo nos primeiros capítulos do livro de Levítico, vemos Deus mostrando a Moisés como deveriam ser oferecidos os sacrifícios pelo povo de Israel. Deus é realmente super organizado e gosta que o seu povo também o seja e faça as coisas de acordo com a sua vontade. Uma das categorias de sacrifícios oferecidos era a dos Holocaustos, que era um tipo de sacrifício pacífico em agradecimento a Deus. O Holocausto era um sacrifício diferente dos outros, pois nele a vítima era totalmente queimada. Simbolizava uma entrega total.

Quando o ofertante levava a vítima a ser sacrificada, antes ele punha a sua mão sobre a cabeça da vítima, simbolizando assim que estava ciente de aquele animal estaria sendo sacrificado em seu lugar. Ao aceitar o sacrifício, Deus não estava interessado no sangue ou na carne do animal, afinal, ele não se alimenta disso, e nem precisaria que lhe fossem entregues já que tudo é dele. Deus se preocupava com o coração do ofertante, com a sua intenção.

Mas um dia Jesus entrou no santuário e ofereceu-se a si mesmo por nós. Ali, Jesus garantiu a nossa expiação, a nossa salvação e a nossa comunhão com Deus. E... O que temos dado a Deus em agradecimento a tudo quanto ele fez por nós? Será que já entregamos nossa vida como uma oferta total ao Senhor? Será que já apresentamos os nossos corpos em sacrifício vivo? Fica para nós a interrogação e a resposta do Salmista:

Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do SENHOR. - SL 116:12,13

Pensa bem... Jesus já se entregou... o resto é com você!