Loading...

02 fevereiro 2009

Como filhos apaixonados

Como filhos apaixonados
 
Sabe, quase sempre quando volto para casa, é só abrir a porta e parece que uma corrente elétrica chacoalha o lugar; meus filhos vêm correndo gritando "pai!" com sorrisos de orelha a orelha e, não vou mentir, esse é provavelmente o mais delicioso dos momentos do dia. Obviamente, eles me amam, confiam em mim e querem estar perto de mim. Curioso pensar que eles não sabem lá grandes coisas a meu respeito. Não conhecem as casas onde morei, não sabem quem eu namorei antes da mãe deles, não fazem idéia de que livros li, como foi minha faculdade, para onde viajei. Há, contudo, pessoas que sabem tudo isso ou pelo menos boa parte. Elas devem me desculpar, mas eu amo muito mais aqueles dois guris.

É engraçado que exista gente que realmente acredita que o jeito certo de se relacionar com Deus é acumular conhecimento teórico sobre Ele. Não veem que Ele, ao identificar-Se como nosso Pai, prefere muito mais sorrisos de orelha a orelha e gritos entusiasmados de "pai"?

Isso fica evidente até mesmo pelos métodos que Deus emprega. Veja, Ele, de tempos em tempos, escolhe uma pessoa e lhe dá uma mensagem especial. É uma pessoa comum, não é alguém que já goze de status de "santo" ou algo assim. Uma pessoa comum, com uma mensagem incomum, uma mensagem da parte de Deus. Mas ora, se Deus tem uma mensagem para um povo ou uma geração inteira, por que razão Ele não dá a mensagem de uma vez para todo mundo? Por que, quem sabe, não pede para Seus anjos falarem?

Não, em lugar disso elege um homem ordinário que precisa, correndo o risco de ser taxado de louco, levantar-se e dizer que Deus tem uma mensagem especial. E você, que não é profeta, precisa ser confrontado com a dúvida: ele é louco ou realmente está falando em nome de Deus? Bem, você tem os elementos de prova que Ele deixou na Bíblia: você averigua se a mensagem se harmoniza com a mesma Bíblia, vê se a vida dele ratifica o discurso, etc. e, então, você crê ou não crê. Esse é o método de Deus, porque a mensagem pode ser importante, mas crer nEle é vital. Conhecer a mensagem, exclusivamente, não completa a obra, crer em Deus é que faz toda diferença. Essa é a razão porque em II Crônicas 20:20 lemos "crede no Senhor vosso Deus e estareis seguros; crede nos seus profetas e sereis bem sucedidos". Ele não disse "saiba o que os profetas falaram e estareis seguros".

Deus quer que você creia nEle, que confie nEle, e não que meramente saiba coisas que Ele falou ou fez. Ele não quer que você simplesmente conheça características de Sua pessoa. Ele quer ver Seus filhos apaixonados, correndo para Ele de braços abertos, com sorrisos rasgados, porque filhos são muito mais preciosos que biógrafos (ou teólogos, como queira).

Passe tempo com Ele, aprenda a amá-lO como um filho de 2 anos ao pai e tenha um feliz sábado!

Marco Aurélio Brasil, 30/01/09

5 comentários:

O PENSADOR disse...

Tem que ser pai, rs, para refletir assim! Excelente, realmente, excelente reflexão...

Paulo Adriano Rocha disse...

É Ricardo, mas o pai é o Marco Aurélio, num sou eu não, viu? Rs. Abraços!

Luis Paulo Silva disse...

Paz amado!
Que Deus te abençõe mais e mais.

Vim deixar o link para o meu blog:

www.despertaiceifeiros.blogspot.com

espero que goste.
Abraço!
Luis Paulo Silva

Heitor de Moraes disse...

Paz do SENHOR irmão Paulo.
Grande reflexão!
O SENHOR te abençoe sempre!

Tharsis Kedsonni disse...

Paulo,

Belo texto, bela reflexão!

Aliás, tem gente que vive de chamar Deus de "meu Paizinho" (não tenho nada contra a expressão) mas na verdade não consegue passar por uma situação difícil que já acha que o fim chegou.

(Isso é só uma idéia que veio à cabeça ao ler o trecho "Não veem que Ele, ao identificar-Se como nosso Pai, prefere muito mais sorrisos de orelha a orelha e gritos entusiasmados de 'pai'?")