Loading...

29 agosto 2010

AUXÍLIO EBD

Para a próxima lição, de número 10.

LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO PROFÉTICO NO NOVO TESTAMENTO

O profeta do AT era o representante ou agente de Deus na terra, que revelava sua vontade com relação ao presente e ao futuro. O testemunho dos profetas dizia que o Messias seria um profeta para iluminar Israel e as nações (Is 42.1; cf. Rm 15.8). Os evangelhos também apresentam Jesus da mesma forma, como profeta (Mc 6.15; Jo 4.l9; 6,14; 9.17; Mc 6.4; 1.27).

a) Como profeta, Jesus pregou a salvação. Os profetas de Israel exerciam seu ministério mais importante em tempos de crise, quando os governadores e demais estadistas e sacerdotes estavam confusos e impotentes para atuar, Era essa a hora em que o profeta entrava em ação e, com autoridade divina, mostrava o caminho para sair das dificuldades dizendo: "Este é o caminho; siga-o"(Is 30.21).

O Senhor Jesus apareceu em um tempo quando a nação judaica se encontrava em um estado de inquietação causado pelo anelo de libertação nacional. A pregação de Cristo obrigou a nação a escolher, quanto à espécie de libertação: ou guerra com Roma ou paz com Deus. Eles escolheram mal e sofreram a desastrosa consequência, a destruição nacional (Lc 19.41-44; cf. Mc 26.52). Como seus antepassados desobedientes e rebeldes, que, certa vez, tentaram em vão forçar seu caminho para Canaã (Nm 14.40-45), assim também os judeus, em 68 d. C, tentaram pela força conquistar sua libertação de Roma. A rebelião foi reprimida com sangue; Jerusalém e o templo foram destruídos, e o judeu errante começou sua dolorosa diáspora ao longo dos séculos.

O Senhor Jesus mostrou o caminho de escape do poder da culpa do pecado, não somente à nação, mas também ao indivíduo. Aqueles que perguntaram: "Que farei para ser salvo?" receberam instruções precisas, que sempre incluíam a ordem para segui-lo. Ele não somente mostrou o caminho da salvação por sua morte na cruz, mas também o abriu.

b) Como profeta, Jesus anunciou o Reino. Todos os profetas falaram de um tempo quando toda a humanidade estaria sob o domínio da lei de Deus – uma condição descrita como "o Reino de Deus". Esse era um dos temas principais da pregação de nosso Senhor: "Arrependam-se, pois o Reino dos céus (ou de Deus) está próximo" (Mt 4.17). E ele ampliou esse tema ao descrever a natureza do Reino, o estado e a qualidade de seus membros, as condições de ingresso nele, a história espiritual do Reino após a sua ascensão (Mt 13) e a maneira de seu estabelecimento na terra.

c) Como profeta, Jesus predisse o futuro. A profecia fundamenta-se no princípio de que a história não prossegue descontroladamente, pois é controlada por Deus, que conhece o fim desde o princípio. Ele revelou o curso da história a seus profetas, capacitando-os, dessa maneira, a predizer o futuro. Como profeta, Cristo previu o triunfo de sua causa e de seu Reino mediante as mudanças da história humana (Mt 24 e 25).

O Cristo glorificado continua seu ministério profético por meio de seu corpo, a Igreja, à qual prometeu inspiração (Jo 14.26; 16.13), como também lhe concedeu o dom de profecia (l Co 12.10). Isso não significa que os cristãos devam acrescentar algo às Escrituras, que são uma revelação "de uma vez por todas" (Jd 3); mas, pela inspiração do Espírito, apresentarão mensagens de edificação, exortação e consolação (l Co 14.3), todas elas fundamentadas na Palavra.

Fonte: PEARLMAN, Myer. Conhecendo as doutrinas da Bíblia. São Paulo : Editora Vida, 2006.

Nenhum comentário: