Loading...

27 novembro 2009

Limpando os ouvidos

 

Há alguns dias atrás, o TK fez uma postagem falando sobre música e essa é uma questão que já me incomoda faz um tempo, desde o meu estágio numa escola da rede pública. O que se conhece de música atualmente? Apenas aquilo que normalmente se ouve nas rádios.

Ora, isso não é nada bom. Há um verdadeiro universo de produção musical ao longo dos séculos, no tempo em que música se fazia para se ouvir e não para se vender. Claro que os artistas vendiam o seu trabalho, mas não a sua arte. Bach escreveu mais de 300 cantatas, mas ele não fez a 2ª pensando em rebaixara  1ª porque já “estava ultrpassada”. Não. Jamais. A 2ª era tão arte quanto a 1ª e quanto a 300ª etc.  Beethoven não escreveu a 9ª porque ninguém queria saber mais da 1ª. Nem pensar. Mas hoje a coisa é assim. O pessoal já faz um cd de modo que, ao se lançar o 2º , o 1º já esteja ultrapassado, já tenha perdido o gosto, o valor. O bom é o novo!

A música de hoje é passageira porque é feita para isso mesmo. O sistema capitalista que tem o Consumo como deus principal, leva as pessoas a consumirem mais, buscarem mais novidades, buscarem “o melhor”, mas nem sempre o novo é o melhor. Músicas como o Aleluia, do Handel;  Jesus, Alegria dos Homens, de Bach; Cidade Santa, de Adams; O Holy Nigth, de Adam, nunca passarão, porque foram feitas para durar.

No caso da música evangélica hodierna, além de passageira, tem um conteúdo pobre e mesquinho: não louva, exalta ou adora a Deus, não edifica o ouvinte. Ela é apenas para massagear o ego do ouvinte, fazê-lo sentir bem consigo mesmo. Deus não passa de um gênio preso numa lâmpada que você alisa e ele aparece para realizar o seu desejo. Foi-se o tempo em que ouvíamos composições como a do vídeo acima, que nos mandavam buscar primeiro o Reino de Deus, foi-se o tempo em que se cantava a Bíblia, nossa regra de fé e prática… Continuando do jeito que estamos, veremos que a pergunta de Jesus tinha fundamento: “Quando vier o Filho do Homem, porventura, achará fé na terra?”.

Por isso o título desse post é “Limpando os ouvidos”, porque é o que continuo fazendo: ouvindo as belas composições dos grandes mestres (você já ouviu o Concerto para Piano nº de Grieg, ou o de Tchaikovisky, ou Entry of Guests, de Wagner? São impressionantes!), ouvindo Som Maior, VPC, algumas cantatas belíssimas etc. Deus abençoe e dê longa vida ao inventor do MP3, porque é a nossa única saída para ouvir música de verdade dentro dos ônibus.

Ag0ra dê uma boa assistida no vídeo acima e reflita nessa letra belíssima.

2 comentários:

THARSIS KEDSONNI disse...

Rapaz, que texto arrebatador.

Eu avalizo suas palavras. Nós, que somos ligados à música cristã, sabemos da crise do louvor que foi instaurada pelos anseios mercadológicos ou pela banalização musical (falei sobre isso na última postagem "A banalização da forma de cantar dos jovens assembleianos").

É lamentável. Eu sempre mantenho meus ouvidos limpos musicalmente. Seria bom se todos pensassem e agissem dessa forma.

Só algumas ressalvas:
- Obrigado por me citar nesta postagem;
- Eu assisti ao vídeo. Eu gosto muito dessas músicas. Aliás, gosto todas dos grandes mestres. Tenho uma coleção de uns 20 CDs de músicas deles;
- Neste domingo 29, estarei mantendo meus ouvidos limpinhos vendo, aqui no TC, as apresentações do Coro e Orquestra Doce Harmonia, que completa 45 anos.

Desculpe-me pelas longas palavras. Paz!

Paulo Adriano Rocha disse...

Que desculpas pelas longas palavras, rapaz. Você sabe que a "casa é sua".

Rapaz, que Deus nos ajude, viu? Porque a coisa tá séeeria! O povo só quer saber de Oba-Oba e se você canta uma música como essa, as pessoas sequer refletem sobre a letra. É uma pena...

Hoje eu não posso estar na Central, na realidade queria ter ido domingo passado na festa do Masculino, mas estarei com o Vocal em Calaça louvando e exaltando a Deus, porque só Ele é digno!

Abraços, TK!