Loading...

02 janeiro 2006

Reconsrução

Segue o primeiro texto de 2006. Não é meu, mas eu achei muito, muito bom mesmo! Acho que é super adequado para um início de ano e fala muito de minha própria vida atualmente! Abraços a todos!

Reconstrução



"Disseram-me os restantes, que não foram levados para o exílio e se acham lá na província, estão em grande miséria e desprezo; os muros de Jerusalém estão derribados e as suas portas, queimadas". (Neemias 1:3)

Dentre o grande número de pessoas com as quais lidamos todos os dias, estão aquelas que estão fazendo o caminho de volta. Estão voltando do caos, da lama, do lodo. Fizeram bagunça de suas vidas – transformaram suas vidas num desastre e estão querendo recomeçar depois desse desastre. O que fazer? O que dizer a uma pessoa que está arrebentada porque tomou a direção errada, optou pela dor (voluntária ou involuntariamente), mas que hoje está com o propósito de começar a reconstrução da anarquia que se transformou a sua vida? O que fazer quando a vida se torna um território bombardeado e devastado por situações as quais nós produzimos para nós mesmos?

O texto que lemos é significativo porque ele nos mostra o começo da reconstrução de uma anarquia, de alguma coisa que deu muito errado na vida do povo de Deus. E a partir dele, podemos pinçar algumas verdades eternas para quem quer começar a reconstruir a vida a partir dos escombros:

1. Pare enquanto é tempo. Quem quer reconstruir qualquer área da vida tem que parar com o processo de destruição o mais rápido possível. Pare enquanto o estrago, o dano, é pequeno. Não espere para recomeçar a reconstruir quando tudo estiver estragado. Porque quanto mais destruído, mais difícil será a reconstrução da sua vida, do seu casamento, do seu ministério, etc. Não deixe para mais tarde! Quanto mais tempo investirmos nos nossos pecados e erros, mais devastadora será a destruição, e mais difícil será a reconstrução. Israel aprofundou tanto na sua idolatria que o processo de reconstrução foi imensamente difícil. Jerusalém estava devastada. Portanto, quanto mais profundo nós caminharmos no nosso pecado que leva a desestrutura de nossa vida, maior será o estrago, e mais difícil será a reconstrução. Pare agora!

2. Comece enquanto é tempo. Quem deseja reconstruir a vida com sucesso tem que começar cedo. O quanto antes melhor. Se o primeiro princípio diz respeito à profundidade do nosso pecado, este diz respeito ao tempo que nós demoramos a reconstruir as nossas vidas. Quanto mais tempo demorarmos a consertar o estrago, mais calamitosa será a situação e mais difícil o processo de restauração. Os processos de reconstrução de nossas vidas são penosos e difíceis porque nós sempre estamos adiando, deixando para depois. A lógica nos ensina o seguinte: Se hoje as coisas estão deterioradas, como estarão daqui a um ano se nós nada fizermos? Comece enquanto é tempo!

3. Comece por você. Quanto menor transferência de culpa nós fizermos, maior chance de tornarmos o processo de reconstrução viável. Neemias compreendeu isto. Apesar dele jamais ter colocado os seus pés em Jerusalém (devia ter uns 30 a 40 anos), ele assume a sua responsabilidade na falência espiritual do povo de Deus: "... e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, os quais (aí ele se inclui) temos cometido contra Ti; pois eu e a casa de meu pai temos pecado". Ele não tentou se eximir dizendo que a culpa era de seus pais (desculpa da "maldição hereditária") ou das circunstâncias (behaviorismo). Não! Ele disse: "eu pequei..., fui eu..., o pecado é meu. Não é meu pai, não é minha mãe, sou eu". Qualquer processo de restauração de nossa vida só terá êxito se nós pararmos de transferir a culpa para os outros. Não somos produto dos nossos pais, dos amigos, do meio, somos produto de nossas decisões apenas (acertadas ou não). Estamos onde estamos porque um dia decidimos estar assim. E o processo de reconstrução só se concretiza quando tomamos consciência de nossa parcela de culpa no desastre.

4. Seja perseverante. Todo interesse genuíno de reconstrução é imorredouro, não acaba – resiste ao tempo. O verso 1º nos diz que Neemias orou 3 meses de manhã e de tarde pela reconstrução de Jerusalém. Por quê? Porque quem tem um desejo genuíno de reconstruir a sua vida depois do desastre, é perseverante no seu intento. Não é "fogo de palha". Esse interesse é imorredouro, não acaba na segunda-feira, suporta o teste do tempo. Sobrevive à crítica dos amigos, ao pessimismo dos homens – persevera. Portanto, persevere!

Quem sabe, hoje você não seja alguém que precisa reconstruir dos escombros uma nova vida? Neemias nos dá esses princípios valorosos para que nós entendamos que há esperança mesmo quando a nossa vida se torna um desastre.

Creia nisto!
Pr. José Kleber
Igreja Presbiteriana de Coromandel – MG

"Assim diz o SENHOR, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o SENHOR teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar." (Is. 47:17).

Recebi do Ricardo / Diácono do Senhor

Nenhum comentário: